NeuroDic

O volume sólido de toras em uma pilha de madeira pode ser obtido pelo somatório dos volumes das toras individuais ou por meio de medições das dimensões da pilha, juntamente com a aplicação de fatores de conversão. O método de medições das dimensões de pilha possui desvantagens quando as pilhas de madeira são muito grandes, acarretando um alto consumo de mão-de-obra e um tempo maior para a execução do trabalho. Além destes métodos, o volume sólido de madeira empilhada pode ser obtido por meio da pesagem das pilhas de madeira e da utilização de equações de regressão. Nestes casos a precisão das estimativas pode variar consideravelmente, dependendo de como forem utilizados.

As características das árvores e dos povoamentos afetam o empilhamento da madeira, e por conseguinte, a estimativa volumétrica das pilhas. Dentre tais fatores, destacam-se: a espécie, o diâmetro e o comprimento das toras, a espessura da casca, a forma de empilhamento (manual ou mecanizado), o tempo em que a madeira empilhada permanece no campo, o espaçamento de plantio, a idade das árvores, a qualidade do local, entre outros.

Ao se utilizar fatores de empilhamento para estimação do volume real de madeira empilhada, o ideal é que se calcule o fator de acordo com as principais características da madeira com que se está trabalhando. Na maioria das vezes, isso não é possível, dada a falta de tempo e recursos para realizar a cubagem rigorosa de todas as toras na pilha. Uma alternativa rápida e de menor custo é a utilização de imagens digitais e redes neurais artificiais aliadas a softwares especializados para processamento e estimação do fator de empilhamento em escritório.

Para a quantificação do volume sólido de madeira empilhada por meio de fotografias digitais temos o Software NeuroDic, onde para se obter o fator de empilhamento é necessário apenas a obtenção de fotografias perpendiculares à pilha de madeira, tendo o cuidado em focar a visualização frontal das áreas seccionais das toras.

A utilização do Sistema NeuroDIC demonstra que o software proporciona resultados com diferenças percentuais entre valores observados e estimados de no máximo 0,5%. O sistema também pode ser utilizado para outros casos de classificação de imagens, como contagem de árvores por fotografias aéreas, quantificação de crescimento de plantios equiâneos e inequiâneas e inventário de sobrevivência em plantios de eucalipto.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *